quinta-feira, 16 de julho de 2009

MEDIUNIDADE

A mediunidade e a faculdade especial, que permite receber e transmitir a outros ou a si mesmo a influencia dos espíritos. Todo o ser humano possui este dom, uns mais desenvolvidos e outros menos, não havendo nunca a mediunidade plena, porque a mediunidade esta sempre evoluindo, e, portanto cada vez mais pode ser desenvolvida.
A necessidade do desenvolvimento, quando chega à hora de desenvolver a mediunidade, o corpo desprende, umas irradiações fluídicas nervosa, com um certo brilho, dando uma espécie de luz espiral. Os espíritos sofredores são atraídos pôr essa luz e buscam alivio através deste médium. E muitas vezes transmitem ao mesmo todas as sensações que sentiam antes do seu desencarne. Os sinais mais comuns do aparecimento da mediunidade são os seguintes:

Cérebro perturbado, sensações de peso na cabeça e nos ombros.
Nervosismo, ficando irritado pôr motivo sem menor importância.
Desassossego
Insônia
Arrepios, como se fosse aproximação de alguma coisa desagradável e fria.
Sensação de cansaço geral
Falta de animo para o trabalho
Profunda tristeza ou excessiva alegria sem saber porque.

São estes sinais freqüentes, que mais se acentuam na medida que as relações fluidificas entre o médium e espíritos sofredores se fortificam e a saúde se altera devido a enorme carga de fluidos que o corpo armazena, o remédio capaz de produzir um resultado apreciável e o desenvolvimento da mediunidade, ou trabalho espiritual realizado no chacra responsável pela comunicação espiritual.

Desenvolver a mediunidade e aprender a usá-la, para que sejamos bem sucedidos, cultivamos nossas virtudes, a paciência, a perseverança, a boa vontade, a humildade e a sinceridade. O desenvolvimento da mediunidade exige muita paciência e persistência, para alguns levam meses outros anos, não importa o tempo, importante e que tenhamos um bom e seguro desenvolvimento. Para merecermos que Deus permita que bons espíritos nos auxiliem, temos que cultivar a humildade. Para sermos humildes devemos ser bondosos, porque a bondade e a mais bela forma de humildade.

ENSINAMENTOS QUE O MÉDIUM DEVE SABER

Devemos orar no começo e no fim de cada sessão, no começo para elevar o nosso espírito, atraindo os espíritos esclarecidos, e no fim, como agradecimentos aos benefícios e ensinamentos recebidos. A prece não deve ser uma recitação, mas um ato de vontade, capaz de atrair boas vibrações do plano espiritual e as irradiações do divino mestre.
Uma lenta e laboriosa iniciação se impõem aos que buscam os bens superiores do espírito. Como todas as coisas e a formação e o exercício da mediunidade encontra também inúmeras dificuldades, convém insistir neste ponto a fim de nos prevenir durante o desenvolvimento de possíveis faculdades mediúnicas, contra as coisas do erro e do desanimo.

Desde que, um trabalho preparatório se inicia, as faculdades do candidato a médium, vão sendo desenvolvidas, nos primeiros resultados quase sempre são devidos à atuação de espíritos poucos esclarecidos, os quais se utilizam de bons espíritos responsáveis pela tarefa, no sentido de obter nosso despertar. E após esse período inicial preparatório, uma fase normal de desenvolvimento, daí então a necessidade de nossa adaptação em que exercitamos a paciência e aprendemos a nos familiarizar com o modo de agir dos habitantes do mundo espiritual.

Uma multidão de espíritos nos cerca sempre, ávidos de se comunicarem conosco. O médium colhera sempre o fruto de seus perseverantes esforços e recebera os espíritos elevados a consagração de seus trabalhos e sua faculdade amadurecidas na humildade e perseverança ao abrigo das sugestões do orgulho.
Devemos redobrar a vigilância contra as tentações nos dias de trabalho, porque e justamente nesses dias que forças negativas tentarão impelir contra os trabalhos de caridade.
A mediunidade manifesta-se pela atuação dos espíritos sobre os médiuns, podendo se dar e apresentar nas seguintes características.
a CONSCIENTE, Quando o espírito comunicante transmite por telepatia a sua idéia ao médium, que assimila e retransmite com os seus recursos próprios.

SEMICONSCIENTE – Quando através do equilíbrio ou afinidade fluídica o espírito comunicante entra em contato com o perispirito do médium e atua sobre o mesmo, controlando os órgãos de manifestação, sem, contudo afastar-lhe o espírito do corpo. Desta maneira e melhor que de forma consciente, pode o comunicante transmitir com mais liberdade e desembaraço suas idéias, cuja reprodução será tanto mais perfeita quanto melhor for à educação mediúnica e a maior capacidade intelectual do médium.

INCONSCIENTE – Quando, depois de obtida a exteriorização do espírito do médium, o espírito comunicante passa a controlar temporariamente o corpo físico, transmitindo suas idéias e pensamentos direto e livremente usando de sua própria palavras. Esta e a forma que maiores garantias oferece de segurança e fidelidade na comunicação, e é somente neste caso que se da a incorporação. O espírito comunicante e quem pôr processo magnético promovem o afastamento do espírito do médium. A manifestação opera-se em transe sonambúlico ou letárgico, no transe sonambúlico o espírito comunicante locomove-se com o corpo do médium, fala e toma objetos, levanta-se ou senta-se. No transe letárgico o comunicante fala, mas o corpo do médium fica imóvel ou não. Na forma inconsciente o médium esta mais à vontade para enfrentar, as criticas uma vez, que não intervém e nada sabe das comunicações, que a manifestação integral do espírito comunicante que se houver suficiente perfeição e extensão da faculdade mediúnica, poderá assumir o aspecto físico, o mesmo tom de voz, mesmas maneiras e revelar outros detalhes da personalidade que encarnou em vidas anteriores e sob a qual no momento se manifesta. Nestes casos a incorporação inconsciente, quando o indivíduo possuir suficientemente desenvolvido e bem educado a faculdade mediúnica poderá durante o transe permanecer espiritualmente ao lado do corpo físico, como mero assistente ou afastar-se temporariamente, empregando-se em tarefas de recuperação ou trabalho útil.

VIDÊNCIA E AUDIÊNCIA – São fenômenos incluídos nos quadros da lucidez, juntamente com a intuição, psicometria e os sonhos.

VIDENTES – São os dotados da faculdade de ver os espíritos. O médium tanto pode ver com os olhos abertos, ou com os olhos fechados, onde se conclui que quem vê e a alma, através dos sentidos mais elevados não localizados em órgãos, mas generalizados pôr todo o perispirito.

VIDÊNCIA – Em ambiente ou local e aquela que se opera no ambiente em que se encontra o médium, atingindo fatos que ali mesmo se desenrolam e pode ser considerado como sendo a faculdade em seus primeiros estágios.

VIDÊNCIA NO ESPAÇO – E aquela em que o médium vê cenas, quadros, sinais ou símbolos em pontos distantes do local do trabalho, podemos conseguir, primeiro pela formação do tubo astral, que no processo de polarização de um numero de linhas paralelas de átomos astrais, que vão do observador a cena, que deve ser vista, segundo pelo desdobramento mediante o qual o espírito do médium, abandonando momentaneamente seu corpo físico isto e, exteriorizando-se e levando ao local da cena e observa diretamente, sendo que neste caso, a visão e muito mais nítida e completa.

VIDÊNCIA NO TEMPO – E aquela em que o vidente vê cenas representando fatos a ocorrer ou já ocorridos em outros tempos. No primeiro caso (futuro) a visão e profética e no segundo caso (passado) a visão e rememorativa.

AUDIENTES – São os dotados da faculdade de ouvir os espíritos. Os médiuns são os intermediários, entre a espiritualidade e o mundo material, verdadeiras pontes de ligação entre dois planos de vida, são os interpretes dos espíritos para a instrução aos homens para mostrar-lhes o caminho do bem e trazer-lhes a fé, mas não para vender palavras que não lhes pertencem, não e o produto de sua concepção nem de suas pesquisas e nem de seu trabalho pessoal. A mediunidade jamais será uma profissão, mesmo porque e, sobretudo no seu aspecto de concessão como prova, e uma faculdade essencialmente móvel e variável, não sendo, portanto a mesma coisa que a capacidade adquirida pelo estudo e trabalho, o qual temos o direito de usar.

CURADOR – E o veiculo para a transmissão do fluido salutar dos bons espíritos, nestas condições, jamais tem o direito de vender.

BERÇO DOMESTICA – E a primeira escola e o primeiro templo da alma. A casa do homem e a legitima exportadora de caracteres para a vida comum. Se o negociante seleciona a mercadoria, se o marceneiro não consegue fazer um barco sem afeiçoar a madeira aos seus propósitos, como esperar uma comunidade segura e tranqüila sem que o lar se aperfeiçoe A Paz do mundo começa sob as telhas a que nos acolhemos e não aprendermos a viver em paz, entre quatro paredes, como aguardar a harmonia das nações Se nos não habituemos a amar o irmão mais próximo, associado a nossa luta de cada dia, como respeitar o eterno pai que nos parece distante.

A MENTE HUMANA – Tem capacidade de criar aquilo que desejamos realizar essa e uma dádiva tão maravilhosa que nos torna verdadeiramente criaturas divinas. Pôr mais que agradecemos ao criador, nunca faremos o bastante pôr ter recebido extraordinária graça. Deste simples fatos derivam todos os poderes da criatura humanos, feitos realmente à imagem e semelhança de Deus na parte espiritual. A mente pertence ao reino do espírito e, portanto ao plano infinito. O pensamento ao contrario pertence ao cérebro e, portanto ao plano finito e ambos estão interligados, formando nesta vida uma unidade e pelos domínios finitos atingirmos o infinito. Na verdade estamos continuamente sendo afetados pela mentalidade dos que nos cercam, querendo ou não somos sensíveis às vibrações dos demais. Convém que tenhamos muito cuidado com aqueles que lidamos. Es a expressão viva dos vossos pensamentos, o cérebro e o mapa do seu próprio destino, deve-se pensar grande para ser grande. A simples troca de pensamento transforma a pessoa do estado muito infeliz para um feliz, isto prova que ele harmoniza ou desarmoniza. O pensamento atua sobre o organismo, auxilia renovar o corpo, a modelar a face e expressão, a fisionomia e manifesta no olhar, porque ele e o espelho da alma. O pensamento pode ser acionado pelo real, para arquitetar o próprio destino.

TRANQÜILIDADE – Comece o dia na luz da oração, o amor de Deus nunca falha, Aceite qualquer dificuldade sem reclamar, hoje e o tempo de fazer o melhor, trabalhe com alegria, o preguiçoso ainda mesmo quando se mostre num pedestal de ouro e um cadáver que pensa, faça o bem quando possa, cada criatura transita entre as próprias criações, valorize os minutos, tudo volta com exceção da hora perdida, aprenda a obedecer no culto das próprias obrigações, se você não acredita na disciplina, observe um carro sem freio, estime a simplicidade, o luxo e o mausoléu aos que se avizinham da morte, perdoe sem condições, Irritar-se e o melhor processo de perder, use a gentileza, mas de modo especial dentro da própria casa experimente atender os familiares como você trata as visitas, Em favor de sua paz, conserve a fidelidade a si mesmo, lembre-se que no dia do calvário, a massa aplaudia a causa triunfante dos crucificados, mas Cristo solidário e vencida era a causa de Deus. A verdade e uma luz que dissipa todas as nuvens da duvida.

PREPARAÇÃO DE MÉDIUNS – Para os médiuns exercerem suas funções nos rituais de Umbanda e necessário que ele possua algumas características básicas e vitais para o desempenho de suas funções. Estas características são divididas em materiais e espirituais. Os materiais são: Saúde, Qualidade e Responsabilidade. A saúde apresenta a seguinte ordem:
Física, corpo cuidado, sadio e sem doenças

b) Social, sem problemas de relacionamentos e principalmente emotivos,

Mental alegria amor e paciência.

Sabe-se, que o médium com saúde pode ser útil em todas as atividades, de uma terreira, mas o doente nem mesmo a si próprio. As qualidades necessárias a um médium são: Pontualidade, Assiduidade, Espírito de renuncia, Inteligência, Descrição, Finura no trato com as pessoas, fidelidade aos princípios da casa, e Asseio. Quanto as suas responsabilidades, deve ser o respeito pelo trabalho dos irmãos, respeito pela dor dos consulente, prestar muita atenção ao que a entidade fala, para evitar a ma interpretação, ou possíveis duvidas do consulente, comportar-se como uma criatura equilibrada, levando sempre em consideração que as pessoas o vem e que sabe de sua mediunidade, procuram mirar-se em sua conduta.

As características espirituais residem no assentamento de defesa do médium que possui um ritual básico, porem característicos, e no conhecimento mágico a execução destes assentamentos. A preparação de médium passa a ser denominada, para nos, de desenvolvimento com banhos de descarga. O desenvolvimento e para os irmãos, que tenham acentuado grau de mediunidade e saiba como desenvolver esse dom maravilhoso, no recebimento de sua entidade, como deve agir e proceder, bem como, não deve agir e proceder para evitar complicações futuras e jogue fora essa oportunidade divina.

O banho de descarga ou banho de defesa e tomado do ombro para baixo e com ervas designadas pela própria entidade do médium. As ervas podem ser maceradas (amassadas) ou fervidas na água. Existe entidade que alem de ervas pedem flores ou outros elementos naturais, bem como designam a água a ser usada, como do rio, da cachoeira, da chuva, do mar ou outra, algumas entidades também pedem bebidas, como guaraná, cerveja branca ou preta, champanhe, ou ainda perfumes ou frasco de perfume ou mel. Esse elemento pode ser usado no banho de descarga ou no Amaci.

O banho manipula as energias vitais e essas ervas quando usada nos transmite a vida e os organismos vitais das plantas e da natureza, e uma vez derramada sobre o corpo são traídas pelos centros vitais do corpo humano, ao mesmo tempo em que limpam as vibrações excedentes deixam neutra a aura ou corpo astral do médium.

O desenvolvimento, nos dias marcados para as aulas de desenvolvimento, e para o seu próprio bem e em condições futuras como médium e seu aperfeiçoamento, devem observa as seguintes condições:

Nesse dia, desde que se levante e pense no compromisso de comparecer as aulas, deve procurar manter-se calmo, evitando contrariar-se evitando atrair vibrações negativas.
Não fazer idéia fixa do que ira acontecer nessas aulas, concentrando-se e evitando que seu pensamento atraia vibrações negativas.
Dentro do possível, procurar tomar seu banho de descarga após o higiênico.
Comparecer na hora marcada bem disposto, vibrando positivamente, trajando roupas claras e tênis branco.

Durante a aula, procurar estar desinibido, pensar que esta entre pessoas amigas que querem seu bem estar e seu aperfeiçoamento espiritual.
Ficar descontraído e se pôr eventualidade não entender ou tiver duvidas quanto a aula dada seja franco pergunte, interpele, pois e preferível perguntar para aprender do que sair em duvida ou na ignorância do assunto.

O médium tem que ter os conhecimentos da magia que sempre estiveram ao alcance dos homens. Com o passar do tempo o homem preocupado com a obtenção de bens materiais ignorou e se distanciou da natureza e de toda força que ela contem, mergulhando no poder e se envolvendo em lutas e destruição, tornando-se desinformado sobre essas energias, necessitando de tecnologia para obter a mesma sabedoria que de graça a mãe natureza oferece.
A Umbanda nada mais faz, do que retornar o homem às origens, trazendo de volta o conhecimento dos grandes mestres a serviço dos que desejam saber, para crescer e orientar a fim de amenizar o carma de tantos aflitos.
A religião não é uma ciência exata, onde se pode construir formulas, mas disponibiliza variáveis para que sejam agrupada e pelo conhecimento de cada um, possa estabelecer a formula ideal para a passagem neste plano terra.












PERGUNTAS E RESPOSTAS.

- O que é mediunidade
A mediunidade e a faculdade especial, que permite receber e transmitir a outros ou a si mesmo a influencia dos espíritos. A mediunidade manifesta-se pela atuação dos espíritos sobre os médiuns, podendo ser consciente, semiconciente ou inconsciente.

- Qual a melhor mediunidade
A melhor mediunidade é aquele que cada um possui, no inicio pela própria inexperiência como médium gostaríamos que fosse a inconsciente, mas com o tempo e a medida que afirmamos passamos a desejar ser consciente, para aprender com as entidades, mas tenham a certeza por mais consciente que sejam e pensam que acompanharam todo o trabalho incorporada, com a sua inteligência, jamais poderão descrevê-las na sua amplitude, pois aquilo que a entidade não permitir, não será registrado pelo cérebro.

- Posso trabalhar com dor de cabeça
Sabe-se, que o médium com saúde pode ser útil em todas as atividades de uma terreira, mas o doente nem mesmo a si próprio. Não se deve trabalhar se não nos encontrarmos em perfeitas condições físicas e mentais, uma vez que a dor pode prejudicar na concentração, impedindo a perfeita comunicação com as entidades.

- Tem dias que me sinto nervosa, agitada.
Quando se aproxima o momento de desenvolver, o chácara coronal começa emitir luz, e alguns espíritos que querem evoluir e precisam da luz, aproximam-se, ocasionando algumas vezes, um mal estar, é neste momento que recomendamos o desenvolvimento, mas para amenizar este incomodo podemos molhar os pulsos, entrelaçar os dedos das mãos e deixar o água escorrer entre eles, levando as mãos molhadas na testa, percorrendo as faces externa até abaixo do queixo, onde juntamos as mãos e sacudimos dentro da pia, pedindo ao nosso protetor e ao povo da água para retirar todas as vibrações negativas que estão nos inquietando.

- Tenho muita dificuldade em me manter concentrada
O importante no momento da concentração é evitar fugir do templo através dos pensamentos, ou seja, pensar coisas alheias ao meio que esta, para algumas pessoas no inicio é difícil, mas com o tempo e dedicação, voltando os pensamentos o mais rápido possível, aprendem a se desligar. Aqueles que sofrem desta dificuldade, procurem acompanhar as rezas, os pontos cantados, mantenham seus olhos fechados isto aumenta o seu poder de concentração, criam uma imagem mental de uma mata, praia ou cachoeira, e procurem manter esta imagem, evitem ficarem observando as outras pessoas, se entreguem de corpo e alma ao ritual, sem medo.
- O médium é um sacerdote
Sim todo o médium deve se conduzir como sacerdócio, dando bons exemplos e se mantendo na mais alta pureza, sempre pronto para ajudar alguém necessitado e jamais comentar o que viu ou ouviu durante a pratica sacerdotal.

- Se me desenvolver sou obrigada a trabalhar
A Umbanda é uma religião, que prega o livre arbítrio, todos são livres para fazerem o que querem, então jamais o médium terá a obrigação de trabalhar, mesmo porque o médium tem que prestar o seu serviço de boa vontade. Nos recomendamos o desenvolvimento mediúnico embora o médium não possa ou não queira trabalhar, mas fazendo seu ritual de aprontamento e suas obrigações anuais, o seu chácara coronal, estará protegido pelo seu guia espiritual. Mas lembramos também que em cada trabalho estamos se desenvolvendo, estamos movimentando as energias, substituindo as cansadas por novas, e que recebemos mais do que doamos.

- Tenho medo de me aprontar e não saber responder perguntas feitas durante o passe
No primeiro ano de aprontamento devemos evitar que os médiuns dêem consultas, somente passes, de preferência que atendam criança e descarreguem roupas, com isto o médium vai se firmando e tendo mais confiança em sua entidade. Mas o médium tem que evitar usar a sua inteligência para as respostas, jamais deve se concentrar na pergunta, pois neste caso poderá haver um breve desligamento com a entidade e ele venha a responder pela própria. Conforme soa a pergunta à resposta é de imediato, sem passar pelo cérebro.

- O que é ser médium?
Ser médium é ser possuidor de uma faculdade posta a serviço de intercambiação entre o plano físico e astral. Basicamente a mediunidade existe em forma orgânica, que pode se manifestar de umas dezenas de modos. Descoberta a faculdade mediúnica, cabe ao médium estudar minuciosamente seu processo evolutivo e mediúnico.

- Deve haver profissionalização mediúnica?
De modo nenhum. O médium deve se dar ao trabalho mediúnico com toda a espontaneidade, com objetivos assinalados, a fim de ter êxito nos seus propósitos morais e espirituais.

- O que se exige do médium para uma perfeita incorporação?
Exige-se do médium, além da elevação moral comprovada, mais o seguinte: passividade, entrega absoluta, manter-se indene a pensamentos inferiores, estar devidamente banhado com ervas do seu orixá, manter-se em silencio, de olhos fechados, evitar distrair-se da ordem de pensamentos a que se impôs e procurar manter contato através da mente com o guia a ser recepcionado.

- Existe inconsciência no processo mediúnico?
É por demais sabido que o transe mediúnico se processa através da mente do médium, como se a mesma fosse um espelho a refletir imagens sonorizadas e dinâmicas. Uns poucos médiuns são inconscientes, principalmente nos trabalhos de operações cirúrgicas, materializações etc. Na Umbanda, os trabalhos mediúnicos são realizados na semi –inconsciência do médium.

O que é ser Umbandista?
Ser Umbandista é procurar desenvolver seus próprios pendores morais, através da prática sincera do seu culto, bem como desenvolver sentimentos fraternos com seus semelhantes a par de uma vivência amiga e fiel com seus guias.

- Qual a sua orientação aos médiuns em geral?
Repito apenas uma orientação que aceitei nas primeiras horas da minha tarefa mediúnica: Afasta-se dos elogios fáceis, não confie naqueles que lhes poupem todas as verdades, colocando panos quentes em todas as suas determinações. Não agrida nunca, mas jamais seja veículo da irresponsabilidade verbal que destrói. Lamente o erro, mas não apodreça nele.
Temos por hábito, não dividir a crítica destrutiva ou construtiva, mas aceitar plenamente a critica seja ela ou não infundada. Através das palavras cáusticas, de má vontade ou mesmo calunias é o que tenho boa margem para meu trabalho, agradeço sempre aos meus guias. A possibilidade de encontrar críticas no caminho.
A crítica é sempre boa, embora não exclua o fato de bons e maus críticos. Não se aborreçam por qualquer coisa, acreditem que mais importante que a mediunidade, esta o trabalho que todos nós médiuns, devemos efetuar em nós mesmos, edificando um caráter e procurando sempre, um relacionamento sadio e sincero para com todos encarnados e desencarnado.

2 comentários:

  1. boas vizualizaçones muito bem esplicadas gostei voce deveria falar mas sobre esses assuntos muito importante pois sou umbandista gosto do meu trabalho obrigado abraços

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir